quarta-feira, 15 de junho de 2011

O fim do 8º semestre...

Ontem, após entregar meu TCC nas mãos do meu orientador, Welton Trindade, eu entrei no sanitário da Uninove, sentei...e tive uma crise de choro! De alívio, de alegria, de sensação de missão cumprida...ah, eu senti muitas coisas ao mesmo tempo. Não sei nem explicar...

Mas me lembrei de taaanta coisa, passou um filme na minha cabeça...

Lembrei de quando entrei na faculdade, a felicidade que foi quando me inscrevi no vestibular com o sentimento de ter conquistado uma vitória inédita. Primeiro, nenhum dos meus irmãos, nem ninguém da minha casa, havia feito ou entrado numa Universidade. Segundo, eu não entrei antes – assim que saí do ensino médio – por não ter como pagar, então eu tinha como pagar uma mensalidade, isso era maravilhoso! E foi aquele aperto de todo universitário ferrado...com dinheiro contado pra pagar a facul, normal!

Lembrei dos momentos mais difíceis: parei de estudar duas vezes, por estar desempregada e não ter de onde tirar dinheiro pra pagar, o que me fez ficar 1 ano e meio longe da faculdade. Cheguei a pensar em desistir, nem queria mais ser jornalista, achei que não teria mais condições de continuar...

Lembrei de todas as vezes que passei vontade...vontade de comer um lanche do Mc, de comprar uma roupa, um sapato, de sair, de viajar, de beber, de fazer as unhas na manicure, de ir no cabeleireiro, de dormir, de fumar, de dar um presente pra alguém especial que fazia aniversário, nossa, foram muitas vontades, muitas mesmo! E eu tive de passar, porque ou eu fazia o que eu tinha vontade ou eu pagava a faculdade. E eu optava pela faculdade...ou seja, fiquei todos esses anos, sem fazer muitas coisas. Mas minha mãe me confortava, dizendo que quando acabasse, eu ia poder fazer tudo e mais um pouco!

Lembrei das crises de choro que eu tinha por não aguentar mais dormir poucas horas por noite (tipo 4 ou 5), porque eu saía super cedo, voltava super tarde e não tinha jeito. Eu surtava, meu corpo pedia arrego! E minha mãe, como sempre, me dava forças e dizia que no final, ia valer à pena!

Lembrei das pessoas especiais que conheci na faculdade e das amizades que eu trago até hoje. Se não fosse pelo curso, eu não conheceria nenhuma delas!

Não dá pra resumir num texto a dor e a delícia de entrar e concluir um curso universitário!

Mas lembrei, principalmente das pessoas que me apoiaram, me ajudaram e me aguentaram durante essa jornada.

Não dá pra dar nomes, pois talvez eu seja injusta com alguém. Mas quem é, sabe!

E eu amo e sou muito grata às pessoas que me mantiveram em pé. Sem elas, eu não teria conseguido. Ninguém faz NADA sozinho na vida e eu sou uma mulher de sorte, por ter encontrado todos que encontrei pelo caminho. Inclusive, os que me atrapalharam...pois sem estes, eu não amadureceria e não criaria forças pra chegar até o fim!
Obrigada a quem de alguma maneira fez parte dessa jornada e faz parte da minha vida.

Concluir uma faculdade, é uma sensação inenarrável! Posso dizer apenas, que estou muito feliz e aliviada.

Ah, e minha mãe estava certa. Tudo valeu à pena, de verdade!

Um comentário:

  1. "Tudo no fim dá certo, se não der é porque não chegou ao fim" Pense nisso.

    ResponderExcluir